Gestão ambiental

Resíduos

A gestão de resíduos recebe atenção especial nas empresas em que os volumes são mais representativos ou podem gerar maior impacto pela natureza dos materiais envolvidos. Destacam-se os programas desenvolvidos na Braskem, na Odebrecht Agroindustrial, na Odebrecht Engenharia & Construção e na Odebrecht Óleo e Gás.

A Odebrecht Óleo e Gás separa, armazena e transporta os resíduos das plataformas. Parte do óleo é reciclada.

25%

de redução no volume de resíduos perigosos na Odebrecht Agroindustrial

Na Odebrecht Agroindustrial, a gestão de resíduos é um dos elementos para alcançar a produção mais limpa e atingir a meta de zero resíduo estabelecida para o Plano de Ação da safra 2016/2017. Em 2016, apesar de ter sido mantido o mesmo nível de produção, houve redução de 25% no volume de resíduos perigosos, em comparação à safra anterior.

Na Braskem, a entrada em operação do Complexo do México e uma parada de manutenção no cracker no Nordeste do Brasil resultaram no aumento da geração de resíduos.

 

Por contrato, é de responsabilidade do cliente da Odebrecht Óleo e Gás a gestão dos resíduos provenientes das atividades em poços de petróleo. À empresa cabe monitorar e controlar a separação, o armazenamento e o transporte dos resíduos perigosos e não perigosos provenientes de sua operação. A destinação é definida conforme o tipo de resíduo e com base em critérios fundamentados nos procedimentos do Sistema de Gestão Ambiental.

Na Engenharia e Construção, um dos destaques é o Programa de Gerenciamento de Resíduos (PGR) do Aproveitamento Hidrelétrico de Cambambe, em Angola, que proporciona oportunidades de negócio e benefícios ambientais e sociais. O consolidado de práticas permitiu a reciclagem de mais de 60% dos resíduos gerados.

O asfalto-borracha é outro exemplo de uso sustentável de resíduos, pois utiliza pneus inservíveis. Essa tecnologia foi usada pela Rota do Oeste, empresa da Odebrecht Rodovias, subsidiária da Odebrecht TransPort, na recuperação do asfalto da Rodovia dos Imigrantes, no Mato Grosso.

60%

de reciclagem dos resíduos gerados no Aproveitamento Hidrelétrico de Cambambe, em Angola